A polêmica coleira para criança

Me lembro da minha primeira viagem para a Disney e do horror causado em mim, ainda uma criança, pelas tais coleirinhas que os pais prendiam nos filhos e saiam conhecendo os parques temáticos. Pelo menos 20 anos se passaram e me vejo acompanhando toda a polêmicas das coleirinhas, hoje chamadas de “mochilinhas”. Elas ficam presas nas costas das crianças, podem ser de bichinhos e delas saem o elástico que os pais seguram.

Sempre quis, sonhei e me imaginei com uma família grande, vários filhos, escadinha mesmo, circulando mundo afora. Os muitos filhos em escadinha eu já tenho, mas circular por aí, não é fácil, não. Eles não saem mais em carrinhos de bebês, vão andando sozinhos de mãozinhas dadas. Mas, eu não tenho 3 mãos, infelizmente. Nem que eu tivesse, resolveria, afinal como faz para pegar a carteira dentro da bolsa e pagar o sorvete? E depois como abre os picolés de cada um deles? E se alguém sai correndo para ver alguma coisa muito interessante? (Criança é um serzinho curioso que só vendo…). E se alguém se perde numa multidão de aeroporto?

A mochilinha me parece uma solução possível. Eu preciso sempre da companhia de alguém se quiser ir tomar sorvete na padaria da esquina com os meus 3 filhos. Ás vezes, eu posso não ter a companhia. Ás vezes, eu posso não querer a companhia de ninguém, só deles 3. Mochilinha neles??? Ou ficamos em casa morrendo de vontade de tomar sorvete?

Os pontos negativos levantados por alguns psicólogos não me convencem de que a mochilinha é um mal negócio. Também sou psicóloga e não acho que é esse acessório que vai causar males à criança por distanciá-la dos pais ou por não ensiná-la limites entre o que é certo e errado. Tudo isso se ensina em muitas outras situações cotidianas, contato com os filhos é dia-a-dia  e o que tem uma base sólida e bem estruturada na questão da educação não será “destruído” com o uso da tal mochilinha.

Ou você acha que deixar um bebê numa cadeirinha vibratória enquanto você lê os seus emails, por exemplo, é muito diferente? E carregar o filho num canguru nas costas para ter as mãos livres pode? Eu não tenho as mochilinhas, mas quando encontrar, compro logo três, feliz da vida e saio sozinha por aí desfilando com os meus filhos.

23 comentários neste post - Participe!

  1. Cristiane disse:

    Espero realmente que as pessoas que estão contra a mochilinha nunca percam os filhos de vista, minha filha de 1 ano é muito mas muito curiosa e quase perdi ela de vista uma vez fiquei muito nervosa e me sentindo culpada depois, compraria sim uma dessas para dar a ela liberdade o que eu acho muito melhor do que ficar dizendo ser boa mãe e depois dar tapas, beliscões e ficar gritando com a criança…prefiro carinho e segurança para minha bebê…Eita povo atrasado!!!

  2. PRI BOTOLE disse:

    pois dão ao nossos filhos o senso de limite.

    Claro que você não deve colocar a coleira e falar com seu filho como se fosse um cachorro de estimação, mas sim enquanto passeiam ir ensinando ele como por exemplo: toda vez que ele correr e o elástico chegar no limite você chama-lo e explicar que não pode ir mais longe.

    Usei com meu filho e eu super indico.

    • Cíntia Rodrigues disse:

      Já estava lendo sobre a coleira a algum tempo e conversando com minhas amigas sobre o assunto, todas chegamos a mesma conclusão, que acreditamos que o benefício maior é a proteção dos nossos filhos. Eu morro de medo que ele atravesse uma rua. As pessoas devem lembrar que quem esta a favor da coleirinha, está pensando como no meu caso em proteção e não em descaso com o seu filho. Eu super aprovo!

  3. Equipe Sabará disse:

    Olá Nerina. Não conseguimos compreender sua dúvida. Você pode encaminhá-la novamente? Abraços! :)

  4. ana Paula disse:

    Melhor ter gente falando sobre você, mas seu filho seguro!!!

  5. Magda Simões disse:

    Olá, sou mãe de 1º viagem, meu bebê está com apenas 7 meses, e já estou pensando no momento em que ele começar a dar seus passinhos. Achei muito interessante esse “guia”, “mochilina” ou até mesmo COLEIRINHA, importante mesmo nesse mundo que vivemos é ter a ganrantia que nsso filho vai voltar para csa com gente, poir isso, sou super a favor, já estou a procura da minha coleirinha.

  6. Erenis disse:

    Acredito ser bem interesante, pois da uma garantia de que você não vai perder seju filho(a) de 2 e 3 anos de idade por exemplo, que nessa idade você não tem como falar e obrigar a criança a ser educadinha, meu filho não fale com estranhos,não saia de perto de mim, me desculpem quem tem filho sabe muito bem que criança basta 2 segundos para que eles desapareçam, eu vou comprar e não vejo menor problema nisso.

  7. Thais disse:

    Descupe, mas tenho que descordar de vcs, acho essa “mochilinha” um absurdo. Dizer que facilita a vida dos pais, francamente, ter filho não é fácil! Esquecem de ver o lado da criança, acham que ela vai gostar de sair assim? os pequenos tambem tem percepção! A autora mesmo disse que quando viu isso ainda criança ficou horrorizada e então como acha que seus filhos vão se sentir? Eduque para que seu filho fique perto, não fale com estranhos e não haverá necessidade de amarrar ninguem a vc.

    • Equipe Sabará disse:

      Olá Thais, sua dúvida foi encaminhada ao nosso corpo clínico e em breve lhe daremos uma resposta. Abraços! :)

    • Equipe Sabará disse:

      Thaís, respeitamos sua opinião, mas o que vemos como preconceito, passamos como preconceito, que vemos como normal, será visto como normal pelos nossos filhos, O que é estranho aqui, é normal em outras partes do Mundo, e o que é normal aqui, é estranho em outros lugares.

  8. Amanda Figueiredo disse:

    As pessoas só sabem criticar o que não conhecem. Eu só tenho um filho hoje com 9 anos. Eu usei trela nele até os 4 anos. A trela é a melhor coisa que inventaram. A criança fica com as mãozinhas livres para comer pipoca, tomar sorvete e tudo mais. Nós pais podemos ficar mais tranquilos quando vamos a uma festa da cidade que é cheia de gente. Criança é bem impulsiva e curiosa. As vezes encontramos algum amigo ou amiga e paramos para conversar um pouco e nesse momento à crianças que acabam por se soltar das nossas mãos sem que a gente perceba, e aí pronto cadê a criança? Uma vez fui numa festa da minha cidade com meu filho e a trela. Todos me gozavam falando que meu cachorrinho era lindo. Neste exato momento uma mãe anuncia no alto falante o sumiço do seu filho de 3 anos. Então eu respondi para os que estava achando lindo o meu cachorrinho: – É melhor ter um cachorrinho comigo e seguro do que anunciar o sumiço do meu filho. No dia que deixei de usar trela pq ele já estava com 4 anos eu tinha ido fazer comparas de material escolar, estava cheia de sacolas e pedi para que ele segurasse no meu bolso e não soltasse. Eu tinha que atravessar uma avenida para pegar a condução para casa. Quando ele avistou a kombi que nos deixa em casa, ele saiu correndo. Eu joguei as sacolas no chão e fui atrás dele. Ele quase foi atropelado. Moral da história a trela é ou não é segura? Só lamentei que não poderia usá-la mais devido a idade dele. Morria de medo dele sumir. E até hoje quando vou em festa grande eu coloco um papel no bolso dele com endereço e todos telefones da família.

    • Equipe Sabará disse:

      Amanda, você está coberta de razão. Em países da Europa e EUA é muito comum ver crianças em trelas, aqui não estamos acostumados a ver e muitas pessoas vão ter preconceito. Como diz o post da Camila, não vemos malefício nenhum em usar as coleirinhas, os preconceituosos que vivam com seus preconceitos.

  9. Viviane disse:

    Meninas estou atras tb tessa tal muchilinha, sou mão de uma criança muiiito alegre feliz que adora Corre…Eu ja estou com 41 anos, pensa que situação…Bem mais adora sair com minha pequena e procuro total segurança. Bj

  10. thais disse:

    Adorei e concordo plenamente, tenho gêmeos e é impossível passear com os dois no shopping as vezes eu e meu marido juntos não conseguimos vigiar duas crianças, cada um corre pra um lado e a gente chora pq não consegue ver nada… acho que seria uma ótima solução pra eles pq tenho medo de se perderem em meio as pessoas em lugares muito movimentados e hj em dia a gente não pode confiar que um alma boa irá devolver a criança a mãe!

  11. Jorge Castanheira disse:

    Todos que fazem “alpinismo”, tem, por obrigação moral, que saírem no mínimo em dupla e todos amarrados (“encoleirados”) uns aos outros, para suas seguranças física e emocionais.
    Estas amarras são para segurança da criança, quanto às fugas e sequestros das mesmas. A própria criança, depois do costume em estar “encoleirada”, tem a sensação de segurança maior, do que a de um adulto, quando acostumado, quando se amarra pelo cinto de segurança veicular.

  12. Patricia disse:

    Oi Juliana, me vi sendo descrita nas linhas do seu texto. Eu sempre achei um absurdo as tais colerinhas, e nisso lá se vão uns 20 anos, pois meu filho mais velho esta com 18 anos e o mais novo com 12. E quando estava gravida ganhei uma colerinha da uma amiga da minha mãe. Não fiz desfeita e guardei a bendita! Um belo dia meu filho com 1 ano e meio saiu correndo dentro de um shopping e nós o perdemos, eu agachei e via uma camiseta amarela correndo mas não conseguia chegar perto dele de tanta gente (era ante vespera de Natal). Resultado, nunca mais saiu sem colerinha, e hj acho super valido o uso, pois realmente a segurança vem acima de tudo.
    Parabéns pelo blog!!!
    BJJSSSSSSSSSSSS

  13. QUERO COMPRAR PRA MINHA PRINCESA , FUI MAE MUITO JOVEM E HOJE OS MEUS 2 FILHOTES JA ESTAO COM 25 E 20 ANOS E AOS 43 ANOS ENGRAVIDEI DA VIVI HOJE COM 2 ANINHOS E Ñ TENHO TANTO PIQUE PRA DAR UMA CORRIDA ATRAS DELA…BJS

  14. Tatiana disse:

    olá Juliana!!!!!
    Eu comprei a coleirinha na PB Kids também, e eu não me arrependo. Minha filha é ligada nos 220 V, e eu prefiro o olhar torto das pessoas, do que perder minha princesa num shopping. Se isso causar algum trauma a ela, a gente resolve depois…
    Beijos!!!

    Tatiana

  15. Mari Mari disse:

    Eu particularmente nao vejo problema com a coleira. Pra mim, ela parece um objeto de sequencia do carrinho. Pensa comigo: amarrar na coleira nao pode, mas amarrar no carrinho pode? Porque? So porque o carrinho é socialmente aceitavel e bonito? (ok, nao sao bonitos, sao modernos). Tenho um menino de quase 3 anos que ja nao curte muito carrinho. Ele nao anda de coleira porque ele obedece, mas penso em comprar uma sim, pra momentos em que um deslize pode significar a morte, como atravessar uma rua movimentada. Em tempo, tenho uma filha pequena de pouco mais de um aninho, que ainda fica no carrinho. Ainda. E só um pouco, nao muito tempo.

    onde comprar: http://www.toymania.com.br. Nao sei se ainda tem, mas tinha.
    No rio, tem uma loja chamada Bebe a Bordo que também vende, só nao sei se tem loja online.

  16. Camila disse:

    Oi, Juliana! Achei as coleirinhas em uma loja de brinquedos, a PB Kids, conhece??? Mas outras lojas também devem ter, acho que vale uma busca na internet!
    Bjos,
    Camila

  17. Juliana Fantato disse:

    Se vc achar, me avisa onde, pq eu tbm quero. Prefiro a segurança de que meu filho não se perderá de mim ou sairá correndo para o meio da rua, do que a opinião da sociedade. As pessoas tendem a critícar o que não conhecem, gerando assim o “´pré-conceito”.